Exercícios e Gestação: benefícios, cuidados e dicas para um programa de exercícios para gestantes – continuação

Por Gizele Monteiro

A relação exercício e gestação foi abordada no post anterior. Segue a continuação sobre a segurança na realização de exercícios na gestação.

Costumo fazer exercícios físicos de alto impacto – corrida. É seguro continuar com este exercício na gestação?

Se você já estava habituada a essa atividade E está liberada por seu médico, está bem de saúde, em ótima forma física e se sente disposta, pode manter sua atividade, mas é claro, com as devidas mudanças (consulte um profissional que entenda de prescrição de exercícios e gravidez). De acordo com um estudo da revista científica American Journal of Obstetrics and Gynecology, mulheres ativas e saudáveis que se exercitam antes da gestação podem continuar a fazê-lo durante a gravidez sem risco à saúde ou ao desenvolvimento do bebê. Por isso pode continuar, por exemplo, com atividades com impacto como a corrida, porém a mesma deve sofrer mudanças na duração, intensidade, etc. Um bom programa para gestantes toma os devidos cuidados para a saúde da mamãe.

Eu era sedentária e agora quero me exercitar. Quais os cuidados que devo tomar?

Depois de conversar com seu médico e ser liberada, você poderá fazer exercícios durante a gestação de intensidade leve a moderada. Como não está adaptada as atividades devem ser de baixo impacto, como caminhadas, exercícios localizados, de alongamento.

Devo mudar minha rotina de exercícios ao longo dos nove meses de gestação?

Sim! Mesmo que você seja bem ativa antes da gravidez, seu corpo naturalmente terá a tendência de diminuir o ritmo, para acomodar o útero em crescimento. Ocorrerão também alterações posturais e biomecânicas que influenciarão no conforto do exercício. Alguns exercícios também devem ser evitados, como por exemplo, a postura deitada (decúbito dorsal).

Há esportes que não são recomendados para grávidas?

Se você não é atleta profissional, atividades esportivas, como basquete, vôlei e futebol, lutas, esqui, não são recomendadas por autoridades internacionais e nacionais, pois essas oferecem potencial risco para quedas, traumas além de confrontos corpo a corpo.

Dá para saber se estou exagerando nos exercícios e posso fazer mal ao bebê?

A fadiga é uma forma de perceber a intensidade do exercício na gestação, dessa forma escute os sinais do seu próprio corpo. Uma forma subjetiva usada por alguns estudiosos é o teste da fala (talk test), isto é, diminuir o ritmo quando não estiver conseguindo conversar, porém existem formas mais seguras que um profissional que conheça a fisiologia da gravidez e as mudanças gestacionais pode usar para programar o exercício na intensidade adequada para a mamãe.

SINAIS DE SE INTERROMPER O EXERCÍCIO:

Interrompa os exercícios imediatamente se sentir: tontura, falta de ar, sensação de desmaio, sangramento vaginal,  dificuldade para andar, contrações ou falta de movimentação do bebê (mas tenha em mente que o bebê costuma ficar mais quietinho quando você se exercita).

Gizele Monteiro
– Professora de Educação Física e Personal Gestante
– Especialização na UNICAMP
– Mestrado na UNIFESP – Gravidez e Exercício
– Autora do livro Guia Prático de Exercícios para Gestantes
– Diretora do Programa Mais Vida Gestantes