Periodização no futebol

Artur Monteiro

Qual o melhor modelo de periodização para o futebol? Para responder esta pergunta, devemos conhecer um pouco sobre os principais modelos.

MODELO CLÁSSICO

O modelo clássico proposto por Matveiev proconiza a divisão do treinamento em ciclos (preparatório, competitivo e transitório). O periodo preparatório é subdividido em fase geral (maior enfase no volume) e especial (maior ênfase na intensidade com redução no volume). No período competitivo o volume ainda é reduzido e a intensidade continua sendo aumentada. Este modelo é recomendado para atletas em formação e quando dispomos de um tempo disponível relativamente longo para a preparação (periodo preparatório) e quando objetivamos uma competição alvo.

MODELOS CONTENPORÂNEOS

Nos últimos anos, com o aumento do número de competiçoes durante uma temporada (tênis, voleibol, futebol, etc.), surgiram outros modelos de treinamento denominados contemporâneos. Este modelos buscam a tentativa de ajustar o modelo de treinamento com a realidade da modalidade escolhida.

Um modelo bastante estudado é o de Bloco proposto por Yuri Verkhoshanski. Este modelo como o próprio nome indica é dividido em blocos (A, B e C). O bloco A é caracterizado por um trabalho com grandes volumes e intensidades utilizando exercícios especiais (próximos da realizada comtetitiva da modalizdade). O bloco B sofre um redução drastica do volume e a intensidade permanece alta. O bloco C, onde estão as principais competições, o volume é menor ainda, a intensidade é alta. Este modelo também exige um tempo relativamente longo para a preparação (Blocos A e B) e é indicado para atletas com grande experiência e vivência na modalidade.

Outro modelo contemporâneo é o proposto por Tschiene. Este modelo propõe volume altos e intensidades altas em todas etapas da preparação/competição com alguns momentos destinados a recuperação. Indicado também para atletas experientes.

O FUTEBOL

Agora já podemos analisar com um pouco mais de propriedade. O futebol tem algumas particularidades que devem ser discutidas. O período destinado a preparação normalmente é curto e o periodo de competição longo, onde ocorrem 1 a 2 jogos na semana.

Considerações:

1. Qual o nível de qualificação esportiva da minha equipe?

Para atletas principiantes recomenda-se o modelo clássico por ter um menor impacto sobre o organismo quando comparado aos modelos contemporâneos. No profissional os modelos contemporâneos são mais recomendados.

2. Qual o sistema de competição?

Caso tenha pouco tempo destinado a preparação e um sistama de competiçãos por pontos corridos o modelo de bloco não é recomendado pois durante a realização do Bloco A, o atleta apresentará um desempenho baixo devido as altas cargas especiais nesta etapa.

3. Quantas competições estaremos disputando na temporada?

Recomenda-se priorizar uma delas para selecionar o modelo ideal de periodização, pois o sistema de competição pode ser diferente.

Neste post, foi apresentado apenas alguns problemas que os profissionais que atuam no futebol enfrentarão para planejar e estruturar o treinamento e algumas soluções para algumas questões. Com a experiência adquirida nestes anos no esporte de alto rendimento, confesso ter selecionado um modelo como tendência porém fazendo algums ajustes, inclusive somando com características do outros modelos. Uma estratégia interessante pode ser a periodização ondulatória ou não linear, onde as intensidades variam no mesmo microciclo. Apresenterei este conceito em um próximo post.

Monteiro, AG.; Lopes, CR. Periodização Esportiva: estruturação do treinamento. AG Editora. São Paulo, 2009.

  • Olá Daniel, você pode buscar estas informações nos livro Ciência do Futebol dos autores Turíbio Leite de Barros e Isabela Guerra. Este post é sobre periodização e agradeço a sugestão para escrever sobre a fisiologia do futebol. Um abraço.

  • que tipo de sistema energetico trabalha os jogadores das posiçoes. atacantes,alas;os meias ,zagueiros e o
    ,goleiro… neste site nao falou…